Projeto “O Cidadão”

Projeto “O Cidadão”

 

O Cidadão é um jornal generalista, com enfoque no Grande Porto, mas sem deixar de prestar atenção especial aos fatos importantes que ocorram noutras paragens. Não sendo imediatista, terá uma abordagem mais opinativa, reflexiva e analítica das notícias.

Ser livre e independente é sempre uma exigência. Pelo que foi constituída uma associação – ” Letremperspectiva Associação” – para gerir a propriedade. É uma associação de cidadãos comuns, aberta a todos os que queiram ajudar a melhorar o projeto. E a integrar-se nele.

A opinião está ao dispor das diferentes sensibilidades políticas, religiosas, ideológicas, desportivas e espirituais. A opinião assinada é de inteira responsabilidade do seu autor, não vinculando a direção do jornal.

Na notícia, o rigor, a clareza. O Cidadão não nasce com apetência pelo sensacionalismo: nem na afronta aos poderes ou apoio desnecessário. A verdade, o rigor acima de tudo. Noticia devidamente fundamentada pelas partes em questão. Não estar encostado a poderes de qualquer espécie, é um preço enorme que tem de pagar, um “caminho das pedras” permanente, mas só assim tem razão para existir. É um jornal de todos, onde não há melhores ou piores. Todos são cidadãos. E há uma grande vontade – formar bons cidadãos-jornalistas.

Simultaneamente, colocará em funcionamento a “Oficina do Cidadão”: formações, palestras, workshops, seminários e outros eventos de diversa índole. Os associados terão sempre um desconto em todas as iniciativas que exijam pagamento.

Um jornal aberto a todos que só exige responsabilidade e respeito à liberdade de expressão e aos outros. E que dá, a todos, a oportunidade de opinar dentro destes critérios

  Além da informação geral, assenta em três vetores essenciais:

  • A Juventude. Através de protocolos com escolas básicas, secundárias e superiores, propondo-se incentivar os estudantes, o mais cedo possível, no gosto pela leitura, escrita e na atenção às “fake news”; atendendo à valência dos seus colaboradores, assume o compromisso de ajudar os jovens a perceber a diferença entre linguagem jornalística e literária, sempre assente na prática, uma vez que há páginas específicas para os seus textos, fotos e outros formatos.
  • Os Seniores. Serão incentivados e ajudados tal como os jovens e têm o seu espaço no jornal. Procurará acordos com lares, academias seniores e outras instituições, dando a oportunidade de participarem no projeto. Terá, também, o cuidado de visitar os que habitam sozinhos,  propor-lhes a redação de textos, seja em prosa ou verso, desenhos e fotos. Proporcionar-lhes a utilização de canais multimédia para a divulgação dos seus trabalhos.
  • Comunidades. As comunidades que existam, legalmente, em Portugal serão destacadas. Convidaremos as embaixadas ou consulados a colaborar com texto multilingue (português/país de origem); mas também pessoas comuns, levando-as a integrar a redação, entendendo ser isso uma forma de inclusão cultural e social.

Por fim, divulgar pessoas extraordinárias, instituições, organizações, causas que, dificilmente, teriam acesso á comunicação social. A grande reportagem nacional ou local e a divulgação de “anónimos”, faz parte do ADN informativo de O Cidadão.

Para a prossecução dos objetivos, utiliza todos os meios que a tecnologia tem ao dispor, nomeadamente áudio e vídeo.

Junte-se a nós. Leia, assine e divulgue. Os cidadãos merecem. Todos merecemos.