6.6 C
Porto
Quinta-feira, Maio 23, 2024

Os TAXI arrasam na Casa da Música 40 anos depois do lançamento do álbum “Cairo”

A Casa da Música testemunhou uma noite de pura magia musical com os lendários TAXI. Coube à banda do eixo Cascais-Lisboa, Duque Província, a abertura do concerto.

As mais lidas

António Proença
António Proença
Fotógrafo/Editor/Engenheiro Eletrotécnico

Antes dos TAXI subirem ao palco, Duque Província aqueceram a plateia com uma sonoridade indie, pop e rock e contagiaram o público com a sua boa energia.

20240430 00007
Duque Provincia – Foto de António Proença

Formada por por Henrique Gonçalves (voz, guitarra), António Horgan (teclados), Philippe Keil (baixo) e Francisco Cunha (bateria), os Duque Província lançaram o seu primeiro álbum em 2022, “2032”, e prepararam o terreno para uma noite de música memorável numa sala com a lotação esgotada.

Assim que os TAXI entraram em cena, o público foi transportado para uma jornada de nostalgia e emoção. Com já quatro décadas e um repertório repleto de sucessos intemporais, a banda não decepcionou, proporcionando uma noite memorável que levou os fãs a reviver os tempos de juventude.

João Grande, o carismático vocalista, foi interagindo com a  plateia com sua voz inconfundível bem como a presença em palco, enquanto Jorge Loura e Nelson Funky deslumbraram com os seus solos na guitarra. O “motor da banda”, Hugo Drums, assim apresentado pelo João Grande, alimentou toda a energia do grupo bem como Rui Taborda, um dos melhores baixistas nacionais que, juntamente com o João, são os únicos elementos da formação original dos TAXI.

20240430 00238
João Grande (Vocalista), Rui Taborda (Baixista) – Fotografia de António Proença

Do alinhamento faziam parte os clássicos “Cairo”, com que iniciaram o concerto, até à inesquecível “Chiclete”, entre outros sucessos que marcaram uma geração. A energia contagiante da banda, combinada com a envolvência da plateia, criou um ambiente verdadeiramente mágico, onde a música transcendia o tempo e o espaço, levando a Casa da Música ao rubro.

Ao final da noite, ficou claro que o concerto dos TAXI na Casa da Música foi mais do que a celebrtação dos 40 anos de carreira; foi também uma celebração da música e da cultura, unindo gerações e lembrando a todos da importância eterna da música ao vivo.

20240430 00027
TAXI – Fotografia de António Proença

alinhamento

 

 

- Publicidade -spot_img

Mais artigos

- Publicidade -spot_img

Artigos mais recentes

- Publicidade -spot_img