20 C
Porto
Domingo, Abril 14, 2024

Mudar mentalidades – por Susana Pinto

As mais lidas

Susana Pinto
Susana Pinto
Professora de Português e Alemão

Olho para o fracasso com um misto de medo e vergonha, desde que me lembro de ser gente.

O embaraço, assim como o rótulo negativo associado a algo que não correu bem, sempre me pareceram bons motivos para não tentar.

Entender estas circunstâncias como uma questão cultural parece ser uma perspetiva cada vez mais plausível.
Vem isto a respeito de um podcast que pretende abrir horizontes no que ao mundo dos negócios diz respeito.

O anfitrião – um bem-sucedido empresário português, criador de uma marca internacional – e o seu convidado – igualmente bem-sucedido empresário, português, com negócios diversos em várias partes do mundo.

A dado momento, ambos falam da relação com o fracasso, a forma como se aprende com ele, e da mentalidade portuguesa em relação a este, comparativamente com outras culturas.

Explicar o sucesso é, acima de tudo, admitir que muitas vezes se tentou e muitas vezes se falhou.

No fundo, acabamos por perceber que são as situações negativas que ditam o caminho a trilhar: aprendemos o que é errado; não repetimos e melhoramos o que temos de melhorar.

É isso que se espera de um espírito persistente, empreendedor e vencedor. Será justo dizer-se que o sucesso se explica pela atitude pessoal em relação ao fracasso, mas é igualmente importante não esquecer a componente social do país onde vivemos – somos reflexo dessa mentalidade.

Culturalmente, a nossa essência é calma e recatada e o desafio não é uma constante, nem tão pouco um denominador comum da nossa alma.

As raízes portuguesas enquadram-se num contexto de serenidade e incompatibiliza-se com incerteza e instabilidade empresarial.

Existem outros países – EUA – onde o fracasso é assumido sem embaraços. Como algo perfeitamente natural. Essa naturalidade em muito se explica pela mentalidade inerente à cultura americana – inconformada e aventureira.

Entender estas diferenças é perceber que transportamos individualmente características comuns: se algum dia aspirarmos a ser algo mais, teremos de mudar mentalidades.
E mudar mentalidades não é tarefa fácil! Implica persistência e, acima de tudo, não ter medo do fracasso!
Estaremos dispostos a isso?

- Publicidade -spot_img

Mais artigos

- Publicidade -spot_img

Artigos mais recentes

- Publicidade -spot_img