11.2 C
Porto
Domingo, Fevereiro 25, 2024

Comportamento “abusivo” de Rui Sinel de Cordes leva a cancelamento de espetáculo no Porto

O que deveria ter sido um espetáculo de comédia, em homenagem ao falecido humorista Ricardo Vilão, tornou-se num ato trágico repleto de insultos e tombos em palco, devido ao abuso de álcool. Foi a 23 de janeiro, em Lisboa. O evento, com as receitas da bilheteira a reverterem na totalidade para a família do artista homenageado, previa uma edição no Porto, no dia 31. Mas foi cancelada.

As mais lidas

Abílio Ribeiro
Abílio Ribeiro
Jornalista

Só na quinta-feira, dois dias após os acontecimentos no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, é que o humorista Rui Sinel de Cordes reagiu: “no nervosismo daquele que foi o espetáculo mais difícil da minha vida, quis esconder emoções em palco e abusei do álcool antes do mesmo. Como consequência deste excesso, disse e fiz coisas que me envergonham profundamente, mas pelas quais sou o único responsável, independentemente do estado em que me encontrasse”.

Durante o espetáculo “Morro Amanhã”, Rui Sinel de Cordes (acompanhado por Salvador Martinha e Luís Franco-Bastos – que, com Ricardo Vilão, fundaram o grupo LX Comedy Club) apresentou-se embriagado em palco, interrompeu os colegas, fugiu ao alinhamento, caiu em palco e insultou uma espetadora. “És uma vaca” e “deverias morrer de cancro” foram alguns dos impropérios ouvidos por quem estava na plateia. Ana, a destinatária das ofensas, apenas terá dito para o artista deixar falar Salvador Martinha e Luís Franco Bastos.

A “EXCEÇÃO” QUE MOTIVOU O CANCELAMENTO

Nas redes sociais, Rui Sinel de Cordes pediu “desculpas públicas à Ana. Uma pessoa que insultei sem justificação e saiu da sala, com toda a razão”. O pedido foi extensível “às restantes pessoas que estavam na audiência, à produção e ao teatro, mas sobretudo à família do [Ricardo] Vilão”. Acrescenta o humorista que, em 19 anos de carreira, o episódio “foi uma exceção ao que tem sido a regra”, reconhecendo que agora “é hora de fazer acertos, corrigir coisas que evidentemente não estão bem”:

A dimensão do embaraço levou, entretanto, a produtora do espetáculo a cancelar a sessão que estava prevista para o Teatro Sá da Bandeira, no Porto, a 31 de janeiro. Em comunicado, a Setlist fez saber que “em virtude dos acontecimentos do dia 23, aos quais o Teatro Tivoli BBVA, Salvador Martinha e Luís Franco-Bastos são alheios, não se reúnem as condições para que LX Comedy Club suba a palco na próxima quarta-feira”. A produtora adianta que quem já tinha adquirido os bilhetes será reembolsado.

COLEGAS “TRANSTORNADOS” COM EPISÓDIO

Salvador Martinha e Luís Franco-Bastos remetem-se ao silêncio sobre o falhanço e descontrolo assumidos por Rui Sinel de Cordes. Apenas o representante de Salvador Martinha abordou o sobre assunto, realçando que ambos os humoristas “foram completamente surpreendidos”, estando “muito transtornados por não terem conseguido fazer a homenagem a um grande amigo”.

Quanto ao comportamento de Rui Sinel de Cordes, o agente de Salvador Martinha reforçou que “não há nenhuma justificação a não ser que não estava bem. Ninguém que está bem faz o que ele fez. É uma pessoa que estava perturbada pelo momento e que se excedeu”. A possibilidade de realizar o espetáculo no Porto sem a presença de Rui Sinel de Cordes nunca esteve em cima da mesa, uma vez que “era uma homenagem de grupo e, não existindo grupo, não faz sentido”.

Conhecido pelo seu “humor negro”, Rui Sinel de Cordes tem em agenda 20 espetáculos a solo em vários pontos do país, incluídos na digressão “King Cordes Tour”. O primeiro está marcado para 29 de fevereiro, em Faro. Será possível controlar os danos? Os próximos tempos o dirão…


- Publicidade -spot_img

Mais artigos

- Publicidade -spot_img

Artigos mais recentes

- Publicidade -spot_img