18.7 C
Porto
19.8 C
Lisboa
21.9 C
Faro
Sexta-feira, Julho 12, 2024

B(p)izarrada dos diabos (Opinião)

As mais lidas

Amaro F Correia
Amaro F Correia
Docente na Atlântico Business School/Doutorado em Ciências da Informação/ Autor do livro " Governação e Smart Cities"

Aristóteles tinha razão, já que defendia que a “felicidade e a saúde são incompatíveis com a ociosidade”. Este ministro, da saúde, leva à letra esta máxima. Não foi no Porto que aprendeu estes Truques. Connosco “axantrava” e já tinha “chamado o gregório”. Escolhe uma miúda para diretora geral da saúde e atrasa a vacinação a troco das mortes em catadupa, no início do ano. Trágico e irresponsável. Que dizer deste socialista convicto?

A dicotomia surge, numa perfeita sintonia, entre ser Ministro, com as mordomias que o Estado lhe garante e o facto de ser responsável (dá uma grande trabalheira) para resolver os problemas de saúde dos portugueses. Não tenho saudades de quem me faz mal, muito menos de quem, sem pudor, prejudica o futuro do meu país. Foi assim que aprendi, com o meu pai (Almerindo Correia), um homem íntegro, que não era político de profissão, mas que pensava à frente na sua época. Socialista acreditava no bem comum e que esta corrente ideológica era a melhor para a nossa sociedade. Sinceramente, passados estes anos, tudo mudou. Obrigado pai, recordo-te imensas vezes e ficarias incrédulo como é que o mundo mudou nestes 33 anos, especialmente, a génese dos partidos de poder.

Hoje, tudo é diferente e com a geração Wikipédia isto não vai melhorar. São ciclos, são fases, mas poem em causa o futuro de todos e a culpa é dos seus intérpretes que não são capazes de passar a mensagem. Recordo, por exemplo, a escolha da imberbe Diretora Geral de Saúde, promovida à pressa para um lugar de experiência e conhecimento a convite do ministro. Grande trapalhada! Tivemos este ano um valor de mortalidade igual ao Covid/20. Está tudo bem? Estranho? Talvez não se para a Administração Pública fossem escolhidos os melhores e não as “cunhas” que continuam a proliferar neste pais…tudo seria mais inteligível. Gostaria de saber qual o critério de escolha da atual diretora. Alguém questionou, na imprensa, o Ministro sobre isto? Alguém perguntou ao Ministro, responsável político pela mortalidade no país, porque razão avaliaram mal o vírus da gripe, do Covid, que proliferou no Inverno? Alguém propôs que este senhor se demitisse? Não. Alguém questionou o atraso na vacinação COVID, antes dos 60 anos? Qual o critério científico? Este país não tem emenda nem cura porque vivemos destes expedientes e depois estranham que o Basta suba nas intenções de voto!

Têm o tempo todo para falar sobre saúde, em Portugal, aos portugueses e a imprensa nacional é conivente com estas políticas destrutivas na sociedade. Chamo coveiro do SNS ao Ministro e repito. Não entendo isto de outra forma. Nunca a saúde viveu tantos dias de trapalhada, como estes. O povo pagará. Empobrecem-nos, fazem-nos depender do Estado para não ter opinião….e depois, abandonam-nos. Na verdade, o Pedro Nuno Santos ao ganhar o PS é a assunção da incapacidade dos partidos de se regenerarem. O Luis Montenegro está à beira de um ataque de nervos, porque o PSD entrou num cenário de recessão compulsiva, sem fim. Os órgãos de comunicação social (tv´s) estão prestes a desaparecer (próximos 10 anos), mas continuam a fazer de conta que nada acontece. Não abordam os políticos com temas que nos interessam, não falam para as pessoas e são entediantes nos conteúdos. O cenário é mau, para um país como o nosso, mas será pior daqui a 10 anos. 

Já me Basta os portugueses aceitaram tudo o que lhes fazem, mesmo com má-fé, maledicência. Dizem-me que “não temos alternativa”? É verdade, o PS, o PSD, o BE, a CDU não ajudam a que tudo seja melhor, muito menos, pensam nas pessoas, por isso, as alternativas de extrema-direita surgem como hipótese. Um “bluff ” sem fim, sabemos disso, mas dizem o que as pessoas querem ouvir. Estas ideologias, na Europa, são como as prostitutas (respeito pela mais velha profissão do mundo) que estão sempre prontas para tudo o que é pedido, a troco de vantagem. Este “acácia” é um dissimulado, um fingido que além de ser financiado por “desconhecidos” não tem qualquer passado politico, muito menos gestão. Tenho memória e bato-me pela democracia. Continuo a acreditar. O PSD do Risos inventou um acordo “matador” nos Açores que feriu de morte o partido. Já o tinha “assassinado” no Porto, ao escolher figuras sinistras…mas não ficou satisfeito e então vai ao Açores, “com sentido de Estado” fazer um acordo com o diabo. Sinceramente, estas personagens matam a democracia.

Onde vivem melhor? Numa ditadura? numa monarquia? Os portugueses devem seguir o rasto da sua equipa, de Lisboa, onde andam, como vivem e onde estão instalados. O CDS foi decapitado pelo PP que “nas alegações finais” mais não fez, do que escolher gente de mal com a vida. O que fazer? Resta aos portugueses rezarem muito, muito para que a Rússia não invada a Europa e que nos crie ainda mais dependência. Portugal esta entregue a uma B(p)izarria sem fim a vista, financiada por todos, todas….Abraço e boa sorte! Doutorado em Ciências da Informação (Sistemas e Tecnologias). Autor do Livro: Governação e Smart Cities, editado em 2019. Docente na Atlântico Business Scholl. (Facebook/Insta/email): Amaro F. Correia(1@gmail.com)

- Publicidade -spot_img

Mais artigos

- Publicidade -spot_img

Artigos mais recentes

- Publicidade -spot_img