9.9 C
Porto
Segunda-feira, Maio 27, 2024
- Advertisement -spot_img

AUTHOR NAME

Rosa Fonseca

21 POSTS
0 COMENTÁRIOS
Professora e Escritora

É possível viver sem viver porque a vida é um reacender constante de sonhos, independentemente dos horizontes que vemos.

Quando ela me disse que é possível viver sem viver, soou em mim um alarme. Tínhamos entrado na escola primária no mesmo dia e logo...

É a mãe lentamente a largar o chão

A mãe é e será sempre o nosso ponto de encontro. O ponto de luz. O abrigo que nos acolhe nas tempestades e nas...

Os novos “Vendilhões do Templo”: Vendem-se orações

À saída de um espaço comercial, fui abordada por uma senhora, relativamente nova, de nacionalidade brasileira – o que é irrelevante para o caso;...

Às vezes é preciso desmascarar a pseudointelectualidade

Vivemos tempos perturbantes que são o catálogo perfeito daqueles que nos impingem de todas as formas, as suas ideias, como sendo verdades únicas, incontestáveis....

Às vezes é preciso fechar a sala escura que nos habita – A solidão

A solidão é a casa vazia, a rua despida, um frio acossado ao corpo. Um vazio emocional. E ela, de olhos encovados, tem vindo...

Ainda e sempre – O Amor

Se vamos falar de amor, então falemos também dos silêncios. Das estrelas no céu. Dos poentes. Da cadeira de baloiço no alpendre. Da luz...

Os nossos pais e avós não são para exibir no Carnaval, salvo, se gostarem e o quiserem, claro!

Não gosto do Carnaval. Nunca me mascarei. Para mim será impensável vir a fazê-lo ou a “exigirem-me” que o faça, quando estiver num Lar....

Faltou-nos a coragem de uma despedida – talvez de um adeus (Crónica)

Havia um olhar transparente e todos os devaneios nos interpelavam pelas tardes rasantes, em finais de verão. Tantas tardes, tantos instantes de calor. E...

“E viveram felizes para sempre” : É assim que acabam as histórias de encantar – Por Rosa Fonseca

Quando nos leram a Cinderela ou a Branca de Neve ficámos enternecidos, a inocência fez-nos acreditar que o bem e o amor vencem sempre,...

O Natal já passou e agora, mudou alguma coisa? Onde é que nos perdemos!? – Por Rosa Fonseca

E foi Natal há uns dias. E a melancolia, a dor e a alegria, vão-se dissipando e tudo volta ao seu ritmo. Os momentos...

Latest news

- Advertisement -spot_img